Dia da família. Tempos modernos!

Como a história de quem veio primeiro, a galinha ou o ovo, podemos nos perguntar, qual escola foi pioneira em comemorar o dia da família. Mistério!
Relembro as comemorações do dia das mães em outras épocas, não tão distantes; lágrimas sentidas, presentinhos, bilhetes perfumados repletos de coraçõezinhos, flores, canções, poemas e tudo o que uma mamãe querida recebia. Homenagem mínima perante o valor de uma mãe.
O dia dos pais era bem diferente! Tinha presentinhos, canções, poemas, mas além desses mimos, tínhamos que lidar com situações dolorosas e delicadas.
Era o Marcelo que tinha perdido o papai, policial dedicado, abatido covardemente na luta inglória contra a violência das ruas. Pena!
Era a Aninha, que viu o papai e a mamãe se separarem e assim, seus olhinhos meigos pousavam muito pouco no rosto amado e barbudo que ela tanto amava!
Era o Joel, que nunca conheceu o pai. Mamãe nunca falou nele. Não sabia sequer o nome. Pior foi quando alguns engenheiros da maldade descobriram e o apelidaram: sem pai.
Pensando na atual configuração de muitos lares, as escolas, em sua maioria definiram o dia da família para celebrar o amor que grassa entre os membros que cuidam de crianças e jovens.
Quem já viveu muitos anos dentro de instituições de ensino conheceu avós que eram pais, tios, que eram pais, madrinhas que eram mães, irmãos que eram pais, enfim, todos merecedores de medalha de ouro na tarefa sacrossanta de prover os pequenos com suas necessidades físicas e emocionais.
As comemorações do dia da família são diversas e haja criatividade. Ninguém gosta de mesmice, muito menos educadores interessados em louvar as famílias que são o sustentáculo primordial do ensino e aprendizagem de nossa molecada querida.
Bom por fim é que não existe uma data fixa para que essa comemoração tenha lugar. As escolas se organizam e preparam o evento com o tempo necessário para que se torne marcante.
Muitas mães, principalmente, ficam tristes em não ter uma data só para elas na escola. Queixam-se. Estavam acostumadas. Lembram-se de primórdios nas pré-escolas!
Família é sublime e o que a define é simplesmente: amor! É tudo o que de mais divino possa existir na vida de alguém.
Nós conhecemos pais (famílias) que realmente desdobram cada fibra do ser pelos seus rebentos, deixando de lado sonhos pessoais para realizar os dos meninos.
Diga lá se não merecem festa com pompa e circunstância?
Que nosso Criador abençoe profundamente todas as famílias de nossos queridos alunos!Amém!

Sonia Regina P. G. Pinheiro

Adicionar comentário

2 Comentários

  1. Regiane Alves
    Realmente para mim foi uma decepção me deparar com um dia das mães sem as tradicionais comemorações ( primeiro ano do meu filho na escola). Entendo perfeitamente, respeito e acho importante o "dia da família". Mas acredito que a escola e principalmente a família deve trabalhar com seu pequeno as frustrações da vida, explicar porque o pai ou a mãe não estão presentes, até mesmo porque este dia existe mesmo sem as apresentações escolares. Posso estar enganada mas á uma tendência social em afastar e esconder as frustrações da vida infantil, talvez essa realidade seja um dos pontos cruciais que levam os jovens a não saber lidar com as negativas e frustrações e quando se deparam coma realidade e não sabem como lidar, buscam refúgio nas drogas, violência ou o pior cometem suicídio ( o aumento do número de suicídio entre os jovens está crescendo vertiginosamente). Na educação dos meus filhos preso pela verdade é realidade, mesmo sendo estas difíceis e dolorosas.
    • Dona Sonia
      Prezada Regiane, Obrigada pelo seu comentário. Por um lado fico feliz em saber que leu o artigo e por outro me entristeço em sabê-la decepcionada com a ausência da comemoração especial para as merecedoras mamães . Concordo plenamente que os meninos devem ter a sua dose de realidade, por mais dura que seja. Abraços