As águas vão rolar. Será?

Fala Diretora

As pessoas nascidas há muitos anos atrás, assim como eu, relembram sem muita saudade os sacrifícios passados na infância. Além de tudo relembram o sofrimento dos pais e dos avós na luta pela sobrevivência digna da família.

Lembranças vivas de minha avó coletando água da chuva em vasilhas e também enchendo potes de água para guardar em caso de falta.

Eram tempos duros! Vovô na porta do banheiro cronometrando mentalmente o tempo de banho. E tem mais; só podíamos tomar banho durante o dia, pois à noite gastava luz também.

Televisão só poderia ser ligada após o jantar. Era um luxo que deveria ser degustado como sobremesa! A treva!

Tempo passando e vem a fartura! Água jorrando fácil das torneiras! Banhos demorados! Televisão vinte e quatro horas! Tudo à larga, sem miséria!

De repente o fantasma cinzento da economia, da escassez e talvez da falta começa a assombrar a mente e os corações de todos.

Aqueles que nunca viveram de puxar água de poço, de acender vela, de contar moedas acham que a vida com economia e escassez não vale a pena! É o caos! Sem essa!

Começa, numa fase de real perigo de racionamento, a caça às bruxas. Buscam os culpados por todos os cantos. Políticos? Empresários? Povo em geral? São Pedro?

De todo modo, este será um ano em que nós, educadores, teremos muito trabalho à vista. Será imperioso ensinar a molecada a economizar de verdade e a buscar alternativas para eventuais faltas de água e de energia.

Meninos, existe vida com economia! Existe, sim!

Nossa tarefa não será fácil, mas creio que com as mangas arregaçadas poderemos levar nossa meninada a aprender bastante sobre a riqueza que é a água e respeitá-la como verdadeiro tesouro. Já passou da hora!

Temos que ensinar-lhes que não é chamando um pajé do Amazonas para nos ensinar a fazer a dança da chuva que podemos desfrutar desabusadamente deste recurso valioso.

Cabe a cada um de nós buscarmos dentro de todos os recursos, usar com critério e economia ao extremo a água que vem pingando nas nossas torneiras e já faltando em tantas outras.

Preparemo-nos para um mega projeto dentro de nossas escolas. Comecemos a dar exemplos edificantes para nossos alunos.

É hora de cantarmos: As águas vão rolar com muita fé, mas se elas rolarem de fato vamos ter de usá-las com responsabilidade.

 

Sonia Regina P. G. Pinheiro

Comentários

Carregando...