Fechar Menu

Que crise é essa?

11 | 02 | 2016
Fala Diretora
0 comentários

452 visualizações

Que crise é essa?

Quem já viveu um pouco mais do que três décadas há de se lembrar de tempos difíceis, nos quais olhar para o dia futuro trazia angústia e apreensão. Verdade!
Quem viveu o dobro, se lembra bem de tempos bicudos, de economia como modo de vida, de escassez e às vezes até de penúria. Como me lembro!
Começamos o ano com a sensação que a palavra mais usada para tudo e por todos atualmente é crise.
Para falar a verdade, depois que essa palavra passou a figurar no dicionário social com bastante frequência, ela virou desculpa para tudo. Virou muleta, virou escora, virou apêndice, virou a cabeça de milhões de brasileiros.
A escola sofre e sofrerá as consequências da situação pela qual estamos passando, e queira Deus que estejamos realmente passando. Que seja passageira!
Comerciantes inescrupulosos abusam e tentam enfiar goela abaixo seus produtos com preços elevados com a desculpa: é a crise.
Empresários pensam primeiro em cortar a folha de pagamento, antes de investir em uma ideia para aquecer o negócio sem deixar ao desalento os pais e mães de família.
Todos, enfim, estamos vivendo sob uma nuvem escura que teima em toldar o sol de nossa existência. Onde estão os responsáveis por esse estado de coisas?
No entanto, o que mais nos preocupa como educadores, é a crise moral. Essa é a base de todos os males em nossa querida Nação.
A crise moral foi cunhada através da falta de respeito de um ser humano para com outro.
A corrupção que grassa em todas as esferas do poder legislativo e executivo (queira Deus que não no Judiciário) engoliu de forma avassaladora os projetos e sonhos de milhões de conterrâneos. Se calculássemos tudo o que essa corja sugou, teríamos certamente condição de oferecer ao nosso povo serviços de qualidade e esperança de vida digna.
Como alguém é capaz de subtrair recursos que seriam usados para doentes e conseguir colocar a cabeça no travesseiro? Sem contar a educação, transporte e demais necessidades primárias e urgentes. Que escória da espécie humana!
Esperemos que haja em breve uma luz no fim do túnel para que nossa população tenha confiança no futuro.
Por aqui, na escola, está tudo afinado para que nosso trabalho flua cada vez melhor. Nossos meninos precisam ser bem preparados e antenados.
Pelo menos, por aqui, a palavra crise foi colocada entre parêntesis no dicionário do trabalho sério, ético e respeitoso com os alunos e seus familiares. Segue o jogo!

Drª Sonia Regina P. G. Pinheiro