Existe uma receita para se viver bem, ter saúde física, mental e social?

Fala Diretora

Se existe, o tratamento começa na escola. Como?
Claro que sim! A escola investe no desenvolvimento do aluno como pessoa e cidadão.
Na escola os meninos se curam da cegueira da qual minha avó Otília se envergonhava: o analfabetismo.
Lá também começa o namoro com os números e cálculos. Aprendem história, geografia, ciências, inglês, arte e muito mais.
Os meninos fazem educação física. Fazem esportes. Jogam contra outras escolas, fazem excursões, vão ao teatro, ao cinema e conhecem nessas andanças outros meninos e outros lugares.
Sempre digo aos queridos alunos que aproveitem bem o tempo escolar, pois a vida depois disso é muito chata; muito compromisso sem sal nem pimenta. Muita cobrança! Muita concorrência.
Não é à toa que estamos assistindo com muita tristeza uma verdadeira enxurrada de pessoas adultas com depressão! Muito triste isso!
As crianças crescem e se esquecem que precisam encontrar canais por onde navegar com suavidade a delícia que é a vida que Deus nos deu.
Onde está aquele menino que vibrava com cada descoberta, que não dormia antes de um passeio, que berrava ao marcar um gol, que pedia ao papai para deixar o Serginho dormir em casa?
Onde está aquela garotinha adorável que rezava para chegar logo a sexta-feira, dia do brinquedo, e se deliciar com as novidades que iria presenciar. Aquela que amava o dia do balé, que se maquiava escondido do papai aos doze anos e perguntava para a professora se estava bonita?
Esses meninos estão crescidos e se esquecendo da criança vivaz que teima em sair de dentro deles. Não pode, gente. Não pode!
É imperioso que todos tenhamos um tempo para diversificar nossas atividades obrigatórias. Precisamos pensar em nós. Música, cinema, um livro, exercícios físicos, esporte, boa alimentação, passeios, viagens, boas horas de sono e muito mais.
Faça o que aquece seu coração. Não deixe que as nuvens pairem sobre você. Esteja sempre acima delas!
A escola deu o exemplo alternando os momentos de obrigações com momentos de relaxamento, alegria e diversão.
Cada vez que vejo um amigo em depressão eu penso que ele deveria voltar para a escola, arranjar um par bem bonito para dançar a quadrilha e ser feliz.
Deus dê a todos nós sabedoria para viver bem.

Sonia Regina P. G. Pinheiro

Comentários

Carregando...