Fechar Menu

Inglês e espanhol! Muito pouco para grandes conquistas!

22 | 10 | 2015
Fala Diretora
0 comentários

571 visualizações

Inglês e espanhol! Muito pouco para grandes conquistas!

Comunicação entre pessoas é realmente fundamental!
É muito bom poder falar com pessoas na nossa língua e ser por elas entendido. Para isso, devemos procurar sempre sermos claros. Investir na linguagem como meio de comunicação é o mínimo!
No entanto, atualmente devemos saber nos comunicar também em outras línguas. Verdade!
O ensino do inglês nas escolas públicas e particulares do Brasil, passou por tempos de total descaso, quando ainda era disciplina que não reprovava os alunos, desta forma, educandos e educadores não assumiam a responsabilidade pelo ensinar e aprender a língua de Shakespeare.
Ainda bem que o panorama mudou e para melhor, tanto que além do inglês, com a necessidade de entrarmos para o grupo de pessoas antenadas com seus irmãos sul-americanos, as escolas tiveram que incorporar ao seu currículo também a língua espanhola.
Ora, direis, a escola ensina de fato inglês e espanhol? Ouso dizer que sim, sem o menor erro!
As escolas têm em seu planejamento o ensino dessas línguas em suas quatro competências: ouvir, ler, escrever e falar.
Muitos podem questionar a qualidade do ensino, visto as salas serem numerosas, ou até o fato das universidades não prepararem efetivamente os docentes para a proficiência das línguas. Porém, nossos meninos não são babacas e aqueles que têm vontade de ir além da sala de aula, podem em seu favor, se beneficiar da internet e de cursos extras em outras escolas específicas.
Entretanto, percebo que nossos jovens precisam de ainda mais conhecimentos em outras línguas. Fato!
Há quem diga que saber inglês e espanhol é obrigação, todavia as pessoas diferenciadas são aquelas que sabem também francês, alemão, japonês ou mandarim e por ai vai!
Essas línguas não estão à disposição dos meninos nas escolas, infelizmente, se bem que os colégios estaduais têm centro de línguas que podem beneficiar quem deles se serve, sem que um só real seja gasto. Oportunidade ímpar!
Devido à situação de momento no nosso país não oferecer atrativos à moçada que vai enfrentar a vida adulta, muitos estão mirando a vida em outros lugares. Pena, perder nossa força de trabalho jovem para outras nações, mas não podemos julgá-los, porque todos têm direito à busca de uma vida que lhes agrade e complete.
Essa turma de fugitivos do sistema econômico opressor, precisa estudar línguas para se lançar ao seu projeto de vida.
No entanto, àqueles que pretendem apostar no seu futuro dentro do país, é preciso lembrar que qualificação em vários idiomas é moeda de troca por um salário que satisfaça e recompense esforços.

Sonia Regina P. G. Pinheiro