Mundo chato. Politicamente chato

Fala Diretora

Nesses tempos em que estamos vivendo, percebo que o mundo ficou muito chato! Muito politicamente chato! Essa tem sido também opinião de muitas pessoas com as quais tenho conversado e que comungam da mesma ideia.
Temos que ter muito cuidado com tudo o que falamos ou escrevemos se não quisermos ter rótulos indesejáveis de homofóbicos, machistas, feministas, esquerdistas, direitistas, racistas e tantos outros mais.
Os programas de humor de hoje, se pautam apenas em malícia. Parece que isso não é abominável. Safadeza! Sem-vergonhice pura!
Quando me recordo dos programas de humor de outrora, chego a dar graças aos céus que meus humoristas favoritos estão contando piadas para São Pedro. Como o Chico Anysio, o Golias e o Costinha, para citar alguns, teriam graça se tivessem que ser politicamente corretos?
Na escola é a mesma coisa: os professores têm que procurar palavras para não serem taxados, nem julgados.
Agora tem até a ideia de Escola sem partido, ou coisa que o valha, buscando tirar a autenticidade da prática docente. Será que pega?
Puxa, o professor não tem a exata medida de suas ações?
Não devemos colocar tudo dentro do mesmo balaio! Devemos?
Os livros didáticos estão sendo escarafunchados para que depois de espremidos apontem apenas para o que seja aceito como norma atual.
Deixar que pessoas pensem por nós não é saudável. Pelo menos na minha modesta opinião.
Ando com medo de falar. Eu aprendi muito com a minha querida avó Otília, que muitos leitores já conhecem de tanto citá-la. Doutora em ciência da vida, analfabeta e envergonhada em sê-lo. Ela me ensinou a não dizer tudo o que pensamos e muitas vezes até a disfarçar a verdade para não causar atritos.
Uma outra amiga, dizia que o melhor é sempre aquilo que não falamos.
Calculem o incêndio então que muitas vezes temos que apagar com a meninada atirando a esmo nas redes sociais? Coisa de louco!
Devemos ensinar os alunos a respeitar. Respeito é sem dúvida o divisor de águas.
Sempre foi duro ensinar a garotada que devemos respeitar tudo e todos, mas atualmente me parece que está bem mais difícil.
Quem respeita é por princípio correto. Politicamente, socialmente e determinadamente correto.
Nos lares, a batalha deve ser insana para que os garotos cheguem nas escolas com a sementinha do respeito. Por nossa conta vamos regá-la, cuidar dela com carinho para termos esperança, porque precisamos muito de dias melhores.

Sonia Regina P. G. Pinheiro

Comentários

Carregando...