Fechar Menu

Outros tempos, outros modos. Saudades.

23 | 05 | 2017
Fala Diretora
0 comentários

467 visualizações

Outros tempos, outros modos. Saudades.

Faz muito tempo, mas ainda reverberam em meus ouvidos muitas frases:
“Vai tirar o uniforme, lave as mãos, almoce e depois pegue seu material para fazer a tarefa.
Mãe, não tenho lição de casa.
Não importa. Pegue os livros e vai estudar. Vai ler um livro. Vai estudar tabuada!
Não coma de boca aberta! Não fale de boca cheia! Tire os cotovelos da mesa!
Peça desculpas à sua irmã! Não pegue nada que não é seu!
Você não pode comer nada muito perto do almoço para não tirar a fome!
Já é hora de dormir!
Mãe, ainda é cedo. Não quero dormir agora! Você não tem querer! Já para a cama!
Mãe, a professora brigou comigo. Eu não fiz nada!
A professora sabe o que é melhor para você, ela estudou. Você não tem como julgar sua professora. Ela está certa. Você deve ter feito algo errado, pois eu te conheço! ”
Assim fomos criados. Mãe e pai firmes, com princípios rígidos e valores.
Havia uma crença ferrenha na escola. Professores eram valorizados. Não me lembro de uma só vez, naquela época, ouvir alguém criticar o professor. Outros tempos.
Não sei quando e nem como a fé na escola foi diminuindo e hoje em dia, quando nos preparamos para o trabalho, rezamos um terço inteiro, pedindo sabedoria, tolerância e compreensão.
As famílias mudaram! Muitos pais não estão com a meninada, a não ser à noite, quando alguns até já estão dormindo.
Aos finais de semana, alguns também não se dedicam aos garotos, pois tem roupa para lavar, passar, compras no mercado, cabelereiro e outros.
Quem faz o papel de mãe chata com os pequenos? Quem coloca as rédeas nos meninos?
Pelo contrário! Muitas mães se enfurecem quando os seus filhos dizem que a professora grita. Dizem: eu não grito com meu filho e não permitam que alguém faça isso com ele.
Hoje os educadores são verdadeiros malabaristas, tendo que andar na corda bamba e se equilibrar. Não só precisam de ter conhecimento da disciplina e boa pedagogia, como também, psicologia de vida e traquejo necessário para refletir e compreender como a banda toca!
O futuro da escola e dos professores, só Deus sabe. O caminho à frente está sujeito a buracos, espinhos, chuvas com vento forte e trovoadas. Quem viver verá!
No entanto, enquanto a caravana passa e os cães ladram, vamos fazendo nossa tarefa, que é um desafio muito grande, mas também um prazer enorme: desenvolver e educar nossas crianças e jovens para atuarem de forma íntegra, desejável e útil à sociedade.

Sonia Regina P. G. Pinheiro