Fechar Menu

Se a oportunidade passar, pego, é claro!

11 | 12 | 2015
Fala Diretora
0 comentários

580 visualizações

Se a oportunidade passar, pego, é claro!

Com a chegada vertiginosa do fim do ano, verificamos com tristeza que muitos de nossos alunos não aproveitaram as oportunidades de ensino que tiveram e passaram 2015 fantasiados de estudante, empurrando com a barriga as atividades escolares!
Essa tendência nefasta que muitas pessoas têm de deixar passar as oportunidades que a vida lhes dá de bandeja dourada, não é privilégio só da moçada!
Conheci pelo menos uma dezena de pessoas que tiveram reais oportunidades de dar uma guinada na vida e perderam o bonde! Verdade!
Lembro de algumas dessas pessoas muito claramente: meu pai, meu sogro, um amigo, dentre esses perdulários que, estando a sorte batendo à porta, deram-lhe as costas e preferiram outros caminhos. Pena!
Sei também de outros tantos que vendo a oportunidade passar por eles, seguraram a danada pelo rabo e pelos chifres. Esses afortunados, são hoje pessoas realizadas. Conseguiram atingir seus objetivos e levam a vida contando as vitórias pelos dedos das mãos e dos pés.
As oportunidades podem vir disfarçadas: estudos, novos trabalhos, convites, negócios, viagens, aquisições e outras formas de girar o mundo para o lado do sucesso.
Voltando nosso olhar para a escola, boa parte dos meninos só faz para o gasto. Alguns nem isso.
Menino crescido que não gosta de estudar e não recompensa a família pelo esforço, deve estudar em escola pública e trabalhar! Moleza para malandragem não é remédio, é veneno forte e letal! Escola particular para aluno que não se esforça é boa vela para defunto mau!
Quando essa turma cresce de fato, começa a refletir sobre o que deixou para trás e não aproveitou. Nessa hora, o choro é válido! Leite derramado!
Tem gente que pensa nos conselhos da mamãe e chora! Nos gritos do papai e chora! Nas broncas dos professores e chora. Lágrimas para encher a Cantareira!
Pior é que não adianta falar se a ficha não caiu! Parece que a meninada interiorizou a antiga canção “Não confie em ninguém com mais de trinta anos”!
Que dirá em mim que já tenho o dobro disso! Então é o dobro da desconfiança da garotada. Querem fazer o que a cabeça manda e tocam o terror!
Meninada que brincou o ano inteiro! Família preocupada com o ano letivo quase a correr pelo ralo abaixo! Professores à beira de um ataque de nervos!
Quadro comum em muitos colégios! Quadro normal para quem está na área há muito tempo!
Só que dá um dó muito grande ver essa turma apreciar valores que não educam e não edificam nada! Só junk! Só tranqueira!
Jogar a tolha? Nunca! Ainda nem começou o segundo tempo! Bola para frente!

Drª Sonia Regina Potenza G. Pinheiro